Nothing scares me anymore
“Abrace mais. Às vezes as pessoas não precisam das suas palavras, apenas da sua compreensão.”
1 2 3 4 5
THEME POR encantei-me | DON'T COPY + +
“Porque nós somos feitos de poeira cósmica e estrelas que brilham incessantemente. Eu ouço “Let It Be” e canto, suspendendo meus braços pro céu, pedindo para que alguém, lá do alto, me conceda a graça de subir e ficar nas nuvens, sem precisar me preocupar com toda essa agonia que venho carregando ou coisa do tipo. Eu sei de todos os meus erros mas eu queria, neste exato momento, fechar meus olhos e encontrar um berçário de constelações cuja poesia me falasse de ti e de como o amor é bonito e em como a vida é bela apesar de. Basta toda essa tristeza que, às vezes, pego pra mim como um fardo e que eu não preciso, de verdade, carregar. Nós precisamos, lá no fundo, é de um amor que nos encontre com abraços bem apertados e uma voz serena e tranquila, e que diga sobre o que fomos e cante Beatles e que goste de Drummond. Todos nós deveríamos ter um grande amigo para ligar na hora da dor e dizer “ok” e rir e dizer novamente “ok” e rir novamente… A vida seria mais simples se olhássemos para as flores inexatas, que coincidentemente são as mais bonitas e plenas, são as que refletem quem somos e por que somos. Porque nós somos o corpo flutuando no espaço sideral, somos estrelas-cadentes que passam e nunca mais são vistas, apenas sentidas. Eu sinto estrelas, mesmo que eu não as olhe, eu as sinto. A lua me diz que somos metades para sermos inteiros, e que tudo isso é uma leveza quando visto com calma. E hoje me sinto tão feliz e calmo e sereno, talvez porque ouvir rock e ler textos românticos tenha se tornado uma prática viciante ou até mesmo porque quando eu me afasto eu fico comigo e fico bem, em paz. Se eu olhar para o meu céu, agora, eu terei todo o meu mundo voando atrás das estrelas. E será lindo.”
Igor Pires.   (via acrescentada)

“Não há nenhum problema em não ter alguém pra conversar. O problema é que ao estar sozinho, a mente é a sua única companhia, e ela nem sempre é sua amiga.”
João Daniel.   (via reclinado)


“Você diz que é humilde, mas se exibe quando compra uma roupa de maior valor. Você diz que não liga pra beleza, mas passa maquiagem para se sentir bem. Você adora o frio, mas sempre põe um moletom pra ficar quente. Você acha estranho pessoas que cheiram mal, mas tem preguiça de tomar banho. Você odeia gente melosa, mas não cansa de dizer que ama alguém. Você adora o calor das praias, mas liga o ventilador pra não suar. Você se sente um lixo quando começa a chorar, mas se chateia com qualquer coisinha. Você se acha melhor que todas as pessoas, mas sempre comete o mesmo erro.”
William Shakespeare do Séc. XXI.   (via reclinado)

“Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros.”
Clarice Lispector, último bilhete escrito no hospital da Lagoa, Rio de Janeiro, 7/12/1977.  (via acrescentada)

“Desejo a você: Cheiro de jardim. Namoro no portão. Domingo sem chuva. Segunda sem mau humor. Sábado com seu amor. Filme do Carlitos. Chope com amigos. Crônica de Rubem Braga. Viver sem inimigos. Filme antigo na TV. Ter uma pessoa especial - e que ela goste de você. Música de Tom com letra de Chico. Frango caipira em pensão do interior. Ouvir uma palavra amável. Ter uma surpresa agradável. Ver a Banda passar. Noite de lua cheia. Rever uma velha amizade. Ter fé em Deus. Não ter que ouvir a palavra não. Nem nunca, nem jamais e adeus. Rir como criança. Ouvir canto de passarinho. Sarar de resfriado. Escrever um poema de amor, que nunca será rasgado. Formar um par ideal. Tomar banho de cachoeira. Pegar um bronzeado legal. Aprender um nova canção. Esperar alguém na estação. […]Uma festa. Um violão. Uma seresta. Recordar um amor antigo. Ter um ombro sempre amigo. Bater palmas de alegria. Uma tarde amena. Calçar um velho chinelo. Sentar numa velha poltrona. Tocar violão para alguém. Ouvir a chuva no telhado. Vinho branco. Bolero de Ravel. E muito carinho meu.”
Carlos Drummond de Andrade. (via trovejo)

“Bom… Você me tinha. Você me teve como ninguém mais teria. Mas você preferiu me deixar ir embora. Você me teve também naquela festa ridícula, lembra? Eu estava quase implorando pela sua atenção aquele dia, Stubb. Mas você tinha bebido demais pra pagar de legal para os teus amigos babacas e acabou nem me notando. Mas ainda sim, você me tinha. Eu fui sua em dezembro, no natal. E fui sua no ano novo. Você me teve no meu aniversário e também me teve na páscoa. Você me teve todos dias. Eu era sua mesmo quando não queria. Eu era sua até mesmo quando era de outra pessoa. Você me tinha, Stubb. Você me teve nas suas mãos, mas preferiu me deixar escapar. Você me tinha tanto, que quando você escolheu me perder, eu obedeci.”
Robin and Stubb.  (via antipoetico)


“Às vezes é preciso diminuir a barulheira, parar de fazer perguntas, parar de imaginar respostas, aquietar um pouco a vida para simplesmente deixar o coração nos contar o que sabe. E ele conta. Com a calma e a clareza que tem.”
Caio Fernando Abreu.   (via acrescentada)

Jennifer Aniston, Courteney Cox, Lisa Kudrow and Jimmy Kimmel in “Friends”